sexta-feira, 19 de abril de 2013

Mobilização contra hepatite B e C é realizada em Suape e Belo Monte


Mobilização contra hepatite B e C é realizada em Suape e Belo MontEntre os dias 17 e 30 da abril, cerca de 50 mil trabalhadores do Porto de Suape, em Pernambuco, e da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, passarão por testes para diagnóstico das hepatites B e C. A mobilização faz parte de uma ação do Ministério da Saúde em comemoração ao Dia do Trabalhador (1º de maio).

O exame oferecido aos trabalhadores será o mesmo realizado nos postos de saúde, com resultados em até 15 dias. Além do acesso gratuito ao teste, os profissionais que participarem da mobilização terão a facilidade de receber o resultado no próprio local de trabalho. Em caso positivo, os pacientes serão encaminhados para tratamento na rede especializada dos municípios participantes ou dos estados de Pernambuco e Pará.
A iniciativa do Ministério considerou a grande quantidade de pessoas que podem ser diagnosticadas em ambos os locais, a expectativa é de que sejam diagnosticados 25 mil em Suape e 25 mil em Belo Monte. Nas duas localidades trabalham, diariamente, quase 100 mil profissionais.
“É uma excelente oportunidade de acessar, em poucos dias, tantas pessoas. Quanto mais precoce o diagnóstico das hepatites virais, mais chances de o paciente ter uma boa qualidade de vida”, garante o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco.
São parceiros do Ministério da Saúde na iniciativa as Coordenações de Hepatites Virais dos estados de Pernambuco e Pará, além dos municípios de Recife, Cabo de Santo Agostinho Ipojuca e Altamira. Também participam da ação, universidades e laboratórios governamentais dos estados e municípios envolvidos.

Balanço
No País, estima-se que 800 mil pessoas têm hepatite B e 1,5 milhão são portadores do tipo C. Como são doenças silenciosas, que demoram anos para manifestar sintomas, muitos estão infectados e não sabem. No caso do tipo B, a evolução para a forma crônica ocorre em aproximadamente 5% a 10% dos adultos expostos ao vírus. A hepatite C evolui para a forma crônica em 80% dos casos. Nessas situações, a doença pode evoluir para cirrose e câncer de fígado.
Para evitar a hepatite B é preciso tomar as três doses da vacina, usar camisinha em todas as relações sexuais e não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, material de manicure e pedicure, equipamentos para uso de drogas, confecção de tatuagem e colocação de piercings. No caso do tipo C, não existe vacina, mas é possível evitá-la. Para isso, não se deve compartilhar seringa, agulha e objetos cortantes com outras pessoas e usar camisinha em todas as relações sexuais.

Hepatite
A hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. É uma doença silenciosa, que nem sempre apresenta sintomas. Quando aparecem podem ser, cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.
No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Os vírus B ou C podem evoluir (tornarem-se crônicas) e causar danos mais graves ao fígado, como cirrose e câncer.
População:faça esse exame , pois particular é caríssimos.